Multi pertransibunt et augebitur scientia (Muitos passarão, e o conhecimento aumentará).

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

ARTE SÃ



Sobre o papel dos Artesãos e suas responsabilidades como líderes da AMORC


Por Mario Sales, FRC e S.:I.:



Indaguemos inicialmente sobre qual a função daqueles que atingiram um nível tão nobre e tão respeitado dentro desta Ordem Milenar.

Talvez parafraseando o poeta devêssemos dizer que , do Artesão espera-se que indague ao Cósmico:

“...aonde está você além de aqui dentro de mim?...”

E uma vez obtendo-se uma resposta, encaminhasse seus passos naquela direção, buscando estar a postos para executar as missões que a Consciência Cósmica pudesse lhe entregar.

A função de um Artesão é Ouvir e Obedecer a Voz Interior, a Voz do Mestre que lhe diz seus próximos passos, seus próximos movimentos, palavras e ações.

O Artesão não tem vontades,mas instruções a obedecer, e todo o bem material e espiritual que possa auferir desta conexão só tem uma finalidade: o serviço.

Nós, praticantes desta Arte Mística, desta Arte Sã, não somos mais do que servidores, de preferência, os melhores servidores entre todos.


Não somos mais do que os trabalhadores mais dedicados e mais preparados de nossa Amada Ordem. É nisto que se apóia nossa liderança.

Somos os auxiliares visíveis que de forma visível ou invisível auxiliamos, estrategicamente, com intervenções pontuais ou constantes, de acordo com a necessidade para garantir a perpetuação da Tradição que recebemos e que devemos passar adiante, para as próximas gerações.

Nós somos os transmissores.

E como tal temos que ter algumas responsabilidades e cuidados que são intransferíveis:

1.Fidelidade: devemos manter intactos os conhecimentos e técnicas que recebemos e transmiti-las de forma íntegra aos nossos sucessores.

2.Humildade: devemos nos manter discretos ao manipular estas informações preciosas de forma a preservá-las da vaidade de modificá-las apenas para nossa glória pessoal, com o risco de destruir a força dos que nos foi dado preservar.

3.Criatividade: devemos ser capazes de adequar a maneira de transmitir estas informações a todas as eras em que estivermos, de maneira a facilitar e não dificultar a compreensão àqueles que ainda não foram iniciados.

4.Persistência: não devemos desanimar com as dificuldades operacionais de transmissão da tradição já que não se trata de um conhecimento comum, mas de uma sabedoria arcana.


5.Pragmatismo: devemos lançar mão de todos os meios ao nosso alcance, dentro da ética, para que o maior número de pessoas possível possa ser tocada por estes ensinamentos mesmo que a compreensão de sua importância não seja imediata ou simples.

6.Paciência: temos de ter a capacidade de esperar que as sementes lançadas cresçam lentamente, protegendo o terreno onde as lançamos de quaisquer perigos que possam ameaçá-lo.

7.Coragem: devemos ter firmeza de convicção para defender nossa Amada Ordem de quaisquer tentativas de ataque de que possa ser alvo, pois somos a primeira e a mais forte linha de defesa e de sustentação ao Imperator.

8. Confiança: não podemos em momento algum ceder às tentações do inimigo que dentro de nós, aonde se trava o Verdadeiro Combate , procura a todo instante minar nossa confiança no sucesso de nossa missão.

9. Desapego: todo artesão tem de ter claro para si que ele não é importante, só a Ordem importa, e que por isso deve abrir mão de qualquer reconhecimento desde que seja pelo bem da Ordem.

10.Consciência: o artesão deve ter consciência plena de seu papel entre os membros , sabendo deslocar-se com discrição, seja fora ou dentro da Ordem, levando suas sugestões e inspirações a todos os locais em que esteja e colaborando para a realização do reino de Deus na face da Terra . Deve saber transmitir de forma imperceptível e elegante os valores e o conhecimento esotérico.

11. Equilíbrio : a fala de um artesão deve ser equilibrada e despida de radicalismos. Isto não o isenta de paixão, nem o torna apático ao defender seus pontos de vista, mas o obriga a ter uma postura de alto nível em suas colocações de modo a demonstrar aos neófitos que, guardado o espírito de fraternidade e respeito mútuo, todos são livres para expor suas posições e além disso devem expô-las, de forma franca .

12. Liderança: todo artesão é um líder Rosacruz. Deve exercer esta liderança através de posturas adequadas a um líder, com a convicção de que seus gestos e atitudes são mais importantes do que suas palavras e suas palavras são mais importantes que seus pensamentos, já que palavras e atitudes são visíveis e geram impressões em outros frateres e sorores da Ordem , que podem concluir que tais atitudes refletem a própria Ordem, já que o Artesão é sempre um antigo Rosacruz e é visto como exemplo vivo dos efeitos da filiação rosacruz em um determinado indivíduo. Liderar é dar bons exemplos. Nada mais.


13. Serenidade: o rosacruz deve ter paixão na sua atividade dentro da Ordem, mas precisa ser sereno, acima de tudo. Esta serenidade demonstrará a qualquer um que a contemple, a mais importante característica de um artesão, já que a serenidade é o sinal daqueles que estão investidos do título de mestres, em outras ordens, mas no rosacrucianismo é o sinal do Discípulo.
 Quando o Artesão mostrar que tem a verdadeira serenidade, será um Discípulo pronto.E todos aqui sabem o que acontece quando o discípulo está pronto.

14. O Toque da Espada Mística: por último, gostaria de lembrar que um Artesão às vezes torna-se Artesão e às vezes, nasce Artesão, já que este título, esta responsabilidade, tem dois níveis: o nível exotérico e o nível esotérico.
O nível Exotérico é o nível administrativo, decorrente do atingir uma determinada monografia, um determinado grau dentre os 16 graus iniciais da Ordem ( 3 de neófito, um de postulante e 12 de templo, fora os graus do Plano).
Além deste existe o nível Esotérico, que só é alcançado quando sentimos o peso da espada do Sublime Iniciador sobre nossas cabeças, uma espada feita de fogo, que toca nossa cabeça e incendeia nosso espírito, que nos transforma em algo completamente diferente daquilo que éramos quando chegamos aos portais da Ordem. Neste momento, sucede-nos o que sucedeu aos apóstolos no Pentecostes, relatado em Atos dos apóstolos capítulo 2, vers. de 1 a 6.
 Uma labareda descerá dos céus sobre nossas cabeças, e falaremos com a mente e não com a língua, e todos que nos ouvirem nos compreenderão pelo espírito e pela mente, não mais pelos ouvidos. Teremos então mais poder e mais responsabilidade pois, por determinação do Altíssimo, estaremos autorizados a falar em seu nome, para todos aqueles aos quais nos foi determinado falar, e aos quais o Altíssimo determinou que viessem nos ouvir.

Que neste momento , as virtudes da Fidelidade, Humildade, Criatividade, Persistência, Paciência, Coragem, Confiança, Desapego, Consciência, Equilíbrio, Liderança e Serenidade, façam de nossa própria língua uma Lança, feita do amálgama de 4 elementos que compõem o verbo, IHVH, aquele que é nosso verdadeiro e único mestre e do qual somos todos delicados e dedicados instrumentos.

Obrigado e Paz Profunda